Queijos da Região da Canastra entre os melhores do mundo
Produtores são apoiados pelo SICOOB Saromcredi, através da APROCAN

Produtores de Queijo da Região da Serra da Canastra são premiados no maior Concurso Mundial de Queijos, em Tours, França (Mondial du Fromage et des Produits Laitiers), que ocorre entre os dias 2 e 4 de Junho. Ao todo, foram 24 medalhas, sendo 1 de ouro, 8 de prata, 12 de bronze e 3 super ouro ? esta, quando o produto conquista notas máximas em todos os quesitos. O Brasil marcou presença também com outras regiões produtoras, inclusive mineiras, tendo recebido ao todo, 58 agraciações, destas, 50 somente para o estado de Minas Gerais.

Em sua 4ª edição, o Concurso Mundial teve 953 queijos advindos do mundo todo, sendo 137 do Brasil. Sessenta são da Região da Canastra, pertencentes a 36 produtores, dos quais, 19 ganharam pelo menos uma medalha. A Categoria Super Ouro premiou apenas 7 queijos, e destes, 3 são da Canastra ? um reconhecimento que demonstra, junto ao volume de medalhas conquistas que um ?novo diamante? realmente surgiu no território regional que abriga as nascentes do Rio São Francisco.

Em 2015, quando da 1ª edição do evento, a Canastra teve um queijo medalhista. Em 2017, esse número passou para 3. Agora, um salto gigantesco, atingindo 24 medalhas (17 de produtores de São Roque de Minas, 3 de Delfinópolis, 2 de Piumhi, 1 de Medeiros e 1 de Bambuí).

Com 60 queijos concorrendo, os produtores da Região da Canastra estão representados na França pela APROCAN - Associação dos Produtores de Queijo Canastra, que está presente no evento através de 1 produtora, 2 funcionários e do advogado voluntário da entidade. A associação, que conta com a parceira e fomento do SICOOB Saromcredi desde sua criação, em 20 de Dezembro de 2005, tem se tornado uma referência em organização, fortalecimento da marca e luta por uma legislação federal que reconheça de fato o agroartesanato brasileiro.

Com o início recente da construção da 1ª Escola de Mestres Queijeiros do Brasil em São Roque de Minas, a premiação não poderia chegar em hora melhor, pois vem reforçar a vocação e identidade da região com queijos artesanais de leite cru. "Estamos vivendo um momento de grandes conquistas, depois de mais de 20 anos de luta, cujo mérito é de muitos, especialmente dos produtores que se propuseram a vivenciar a cooperação, trabalhando de forma unida e responsável, dos parceiros institucionais, tanto da iniciativa pública, como os governos e suas entidades, quanto privadas, como SICOOB Saromcredi, SEBRAE, dentre outros, se fortalecendo em prol da agricultura familiar e da identidade mineira, além da própria mídia que tem se tornada uma aliada na disseminação da cultura e valorização da produção agroartesanal", reconhece João Carlos Leite, presidente da APROCAN.

O SICOOB Saromcredi tem Orgulho de acreditar, fomentar e construir em conjunto mais esta bela história real! Por esta e tantos outras ações, temos crescido com Vocês, Cooperados!
Premiações para a Canastra

Os três produtores que ganharam a premiação na categoria Super Ouro são Arnaldo Adams Ribeiro Pinto, do Vale da Gurita, em Delfinópolis; Ivair José de Oliveira, de São Roque de Minas e Silmar de Castro Mota, do Santuário do Mergulhão, de São Roque de Minas. Também deste município, venceu na categoria Ouro o produtor Freire Fregúgia da Silva Júnior.

Já na categoria Prata foram oito vencedores, sendo Carlos Henrique Soares, da Fazenda Capão Grande; João Carlos Leite, da Roça da Cidade; José Baltazar da Silva, do Queijo do Zé Mário; Maria Lucilha de Faria, do Pingo de Amor; Silmar de Castro Mota, do Santuário do Mergulhão, ambos de São Roque de Minas e Cláudio Roberto dos Santos, de Delfinópolis.

Na categoria Bronze ficaram Alan Diego da Silva, do Queijos Dinho, de Piumhi; Claudiano Ribeiro de Lima, do Queijo do Cláudio, de São Roque de Minas; Edmar Torres, do Queijo da Santa, de Bambuí; Freire Fregugia da Silva Júnior, do Queijos Rancho 4R, de São Roque de Minas; Guilherme Henrique Silva e Alexandre Pereira Silva, do Queijos Capela Velha, de São Roque de Minas; Ivair José de Oliveira, do Queijo do Ivair, de São Roque de Minas; José Gabriel da Silva, do Tradição da Canastra, de São Roque de Minas; Luiz Henrique Pinto Fernandes, da Queijaria Porto Canastra, de Delfinópolis; Miguel Marcelio de Faria, do Queijo M, de São Roque de Minas; Rafael Soares de Faria Júnior, do Queijos Beira da Serra, de São Roque de Minas, Sérgio de Paula Alves, do Queijo do Serjão, de Piumhi; Valter Caetano Leite, do Queijo do Valtinho, de Medeiros.


____________________________________________________________



Considerado um dos símbolos de Minas Gerais, o Queijo Canastra por décadas foi rotulado como produto ilegal. Com o apoio do SICOOB Saromcredi, união dos produtores, órgãos governamental e não-governamental e chefs de cozinha renomados, o queijo artesanal teve sua produção e comercialização regulamentada a partir da publicação da Instrução Normativa (IN) 30/2013. Todo trabalho, alinhado às ações de fortalecimento da classe, agregação de valor e segurança alimentar do consumidor, tem assegurado a valorização desta tradição, recebendo preços mais justos, o que favorece o desenvolvimento Região da Serra da Canastra.

Através de parceria envolvendo o SICOOB Saromcredi, SEBRAE e Associação dos Produtores de Queijo Canastra (APROCAN), o queijo canastra ganhou marca própria, selo de indicação geográfica e procedência, além de ter seu modo de produção reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) ? conquistas que agregam valor e reconhecimento por parte do consumidor. De acordo com dados oficiais, a Região da Canastra possui aproximadamente 800 produtores de queijo artesanal, todos na modalidade agricultura familiar.